No início deste ano, apenas os preguiçosos não falavam sobre a escala do impacto da escassez de chips semicondutores na indústria automotiva, especialistas da IHS Markit claramente não estão entre eles. Na opinião deles, este ano o volume de produção de automóveis diminuirá em 7,1 milhões de unidades, só no terceiro trimestre, a queda será de 2,1 milhões de carros. Será possível falar em estabilização da situação até o segundo trimestre do próximo ano.

Fonte da imagem: Bloomberg

Conforme observado no dia anterior, a Toyota Motor em setembro terá que cortar a produção de automóveis nos Estados Unidos e no Japão em 40-60%. De acordo com representantes da Toyota, citados pela Bloomberg, a situação com o fornecimento de componentes semicondutores é agravada pela introdução de um bloqueio na Malásia, onde estão concentradas muitas empresas de teste e embalagem de chips. Problemas semelhantes surgiram em outros países do Sudeste Asiático, onde são fabricados componentes automotivos. Mesmo sem levar em conta os cortes anunciados pela Toyota, até o final do ano o volume de produção mundial de automóveis diminuirá em 6,3 – 7,1 milhões de unidades, conforme previsto por representantes da IHS Markit.

Será possível falar em estabilização do fornecimento de chips na indústria automotiva não antes do segundo trimestre do ano que vem, como observam os autores da projeção, mas a recuperação do mercado começará apenas no segundo semestre. Representantes da Ford Motor também observaram que a escassez de componentes está aumentando devido a problemas com sua produção na Malásia. A picape Kansas Ford F-150 será forçada a suspender as operações na próxima semana.