Alguns mecânicos dão uma “quebradinha” nos cantos das pastilhas novas para evitar que o assobio aconteça. Pode não parecer muito grave, mas se você tiver qualquer problema com a peça, pode esquecer da garantia. Esse tipo de “jeitinho” faz com que nenhum fabricante reponha as pastilhas em caso de defeito. Pensando nesse caso, comecei a puxar na memória algumas gambiarras que podem custar caro lá na frente.

Apesar de o filtro de ar ser uma das peças mais baratas do seu carro, tem mecânico que, em vez de substituir, dá uma limpada nele com ar comprimido e recoloca no carro. Fazer isso pode danificar o filtro e trazer consequências desagradáveis se ele permitir que uma sujeira mais graúda entre no motor.

Outra economia porca é limpar o eletrodo das velas de ignição na escova do esmeril. Especialmente se elas estão sujando por algum problema no motor, como um anel gasto ou quebrado, por exemplo.

Também tem aqueles mecânicos que tiram rolamentos blindados do carro e, em vez de colocar um novo, abrem o antigo, lotam de graxa, fecham e devolvem para o lugar.

Tem os que isolam o aquecedor do sistema de ar-condicionado quando ele dá problema, simplesmente porque dá trabalho demais tirar a peça do lugar para reparar. A desculpa é sempre que no Brasil faz calor até no inverno e ninguém usa o ar quente mesmo.

Esses “jeitinhos” vão evoluindo até chegar ao ponto de tirarem a válvula termostática do lugar, por exemplo, e deixar o espaço vazio, alegando que ela não presta para nada.

Atitudes assim podem criar probleminhas, problemas e problemões, tudo vai depender da sua sorte.

Manter o carro em ordem é uma responsabilidade e tem que ser levada bem a sério, já que envolve a segurança de terceiros. Pensando nesse sentido, vira responsabilidade das Revendas de veículos escolher bem o profissional que vai fazer essas manutenções.

Permitir que o mecânico execute serviços não recomendados pelos fabricantes é negligenciar a segurança da mesma maneira que não seguir o plano de manutenções preventivas.

Fonte: UOL