A Hyundai vai estrear um táxi autônomo, ou seja, sem motorista, em 2023 em parceria com a Lyft, mas já está de olho em tecnologias alternativas às adotadas em modelos híbridos ou totalmente elétricos. Prova disso foi o lançamento do Hyundai Nexo, que já está disponível para compra na Austrália.

A ideia da fabricante sul-coreana em focar 100% nos carros com zero emissão de poluentes é antiga, e o Nexo faz parte dos planos de atingir essa meta até 2040. A Hyundai deseja que sua frota seja composta 50% por carros movidos a eletricidade e o restante por veículos com motores a hidrogênio.

O mais recente teste realizado com o Nexo mostrou que o carro-chefe, com o perdão do trocadilho, tem potencial para se tornar referência no segmento dos veículos movidos a hidrogênio. Segundo os números do teste, o veículo foi capaz de rodar 900 km com apenas um tanque e, de quebra, purificou 449.100 litros de ar durante essa viagem.

Esse número significa, na prática, que o automóvel da Hyundai, por meio de apenas 6,27 kg de hidrogênio, “limpou” o meio-ambiente com o correspondente à respiração de cerca de 30 pessoas durante um dia. Isso foi possível porque o modelo, além de toda a tecnologia envolvida, não emite qualquer gás poluente, apenas água pelo sistema de escape. Para efeitos de comparação, um modelo normal de carro, movido à combustão, emitiria 125 kg de gases poluentes em uma viagem de 900 km.

Como se não bastassem a impressionante autonomia e a função benéfica ao meio ambiente, a sul-coreana também dotou o Nexo com um sistema ultrarrápido de reabastecimento. De acordo com ela, serão precisos apenas cinco minutos para encher o tanque do carro com hidrogênio.

O Nexo, aliás, não será o único veículo da marca movido a hidrogênio que deverá dar as caras no mercado neste ano. A empresa divulgou um pequeno teaser, sem muitos detalhes, sobre seu primeiro esportivo que também utilizará essa motorização.

Toyota também na área

A Hyundai não está sozinha na busca por novas tecnologias limpas para o segmento automotivo. Além da empresa sul-coreana, outra gigante do setor está de olho na nova tendência: a Toyota.

A empresa japonesa testou, em julho, um Corolla movido a hidrogênio. O sedã com motor de 3 cilindros foi adaptado para queimar o elemento da mesma forma que em um motor à combustão tradicional.

Em junho, ela também mandou para as ruas francesas, apenas para um teste, o Mirai movido a hidrogênio. O modelo chegou a rodar 1.000 km com apenas um tanque e, com isso, bateu o recorde mundial de distância percorrida por um carro a hidrogênio. Será que teremos mais uma opção de combustível limpo ao alcance do grande público em um futuro próximo? É esperar (e torcer) para ver.

[Fonte: CTH]