A Volkswagen vai parar novamente em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, segundo o sindicato dos metalúrgicos da região. O motivo da paralisação da produção na fábrica da Anchieta, contudo, não será a escassez de chips.

Como se sabe, a cadeia global de fornecimento de semicondutores entrou em colapso e muitas fábricas pararam. Quando não ocorreu isso, mudanças nos produtos, como no caso do Corolla sem multimídia de fábrica.

A própria VW teve que tirar o item do Fox e o converteu em opcional quando este era de série nas versões mais baratas de Nivus, Polo e Virtus. Mas, voltando à Anchieta, o problema é a falta de barras de direção.

Segundo o site Automotive Business, uma fonte interna revelou que alguns veículos estão sendo produzidos sem esta peça para posterior instalação, evitando assim que a linha de montagem pare por completo.

Ainda assim, a montadora dará férias coletivas a partir de 27 de setembro para 3.000 funcionários da planta por 10 dias. A empresa ressaltou, porém, que se a entrega do componente for regularizada, as férias serão canceladas.

Em duas ocasiões recentes, a montadora informou que paralisaria as operações com antecedência e isso de fato ocorreu. Se a suspensão da produção acontecer, será a terceira na unidade este ano.

Atualmente a fábrica da VW em Taubaté está parada e deveria retornar às atividades de produção na segunda (13), mas a volta dos trabalhadores foi prorrogada para quinta (16). Nesta fábrica são feitos os modelos Gol e Voyage.

Na Anchieta, saem Nivus, Polo, Virtus e Saveiro. Já as fábricas de São José dos Pinhais e São Carlos, que fazem o T-Cross e motores das séries EA111 e EA211, continuam operando normalmente.

A suspensão por um terço do período mensal de produção, deve afetar novamente as vendas da Volkswagen, especialmente no caso do Virtus, que vem tendo destaque nos emplacamentos da marca ultimamente.

[Fonte: Automotive Business]