A Petrobras elevará o preço do diesel nas refinarias em quase 9% a partir de quarta-feira, após 85 dias de estabilidade, informou a companhia em nota, frisando que o movimento é importante para garantir o abastecimento do combustível no país.

Com o ajuste, o valor médio do diesel vendido pela companhia a distribuidoras passará de 2,81 reais para 3,06 reais por litro, refletindo reajuste médio de 0,25 real por litro.
O repasse do aumento para as bombas, nos postos, depende de uma série de questões, como margens de distribuidoras e revendedoras, misturas de biodiesel, assim como tributos.

O aumento nos combustíveis tem sido motivo para reclamações de grupos como o de caminhoneiros.

No início do ano, uma série de reajustes foi um dos motivos pelo qual o presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o então presidente da companhia Roberto Castello Branco.

Porém, mesmo com a troca no comando, a empresa manteve a política de preços que vinha tendo. Em janeiro, o governo decidiu desonerar parte dos impostos federais para o diesel e gás de cozinha.

A Petrobras alega que o preço internacional do barril de petróleo não pode ser o único “culpado” pelo aumento. O presidente da companhia, Joaquim Silva e Luna, foi até a Câmara dos Deputados em 14 de setembro explicar a formação dos preços. Na época, Silva e Luna destacou que os impostos estaduais têm forte peso.

[Fonte: EXAME]