As palavras “carros” e “caros” não tem apenas uma escrita parecida, mas também estão se tornando sinônimos quando o assunto é o mercado automotivo brasileiro.

Em 2021, a alta de preços em todos os segmentos impressionou até mesmo quem já estava acostumado com esse cenário por aqui. O principal motivo, é claro, foi a pandemia, que afetou de forma direta a economia do país.

Além disso, a falta de peças (especialmente de semicondutores) provocou uma queda substancial no estoque de todas as concessionárias, pois diversos modelos tiveram sua produção paralisada.

Em meio a esse cenário, quais carros novos tiveram a maior alta de preços em 2021? Para responder essa pergunta, nós analisamos os valores de tabela de janeiro a outubro dos 30 carros e picapes mais vendidos em nosso país.

Usamos sempre a versão de entrada de cada modelo como base para determinar o aumento, e o resultado foi assustador: em média, esses 30 modelos tiveram uma alta de quase 21%!
Vale citar que esse número seria ainda maior se não fossem os carros lançados (ou renovados) durante esse ano, como Toro, Kicks, Compass e Corolla Cross. Com menos tempo de mercado, eles ainda apresentam reajustes menores em suas tabelas.

Outro dado interessante é que a Fiat se destacou negativamente nesse levantamento, com um reajuste médio de 26,32% em seus modelos, seguida por Hyundai (24,36%) e Renault (23,93%).

Finalmente, também podemos citar que o trio Polo (12,90%), Nivus (13,72%) e Onix Plus (14,78%) foram aqueles que tiveram os menores reajustes entre os 30 mais vendidos.

Vamos detalhar então quais foram os carros com maior alta de preços em 2021, confira!

1) Fiat Uno – 41,41%

Carros com maior alta de preços em 2021

É verdade que nenhuma marca pode dizer que não aumentou consideravelmente os preços de seus carros em 2021, mas dentre elas a Fiat foi a campeã dos reajustes. Nada menos que 4 dos 10 modelos citados aqui são da italiana.

O pior caso foi o Uno, modelo que segue sendo vendido apenas na versão Attractive 1.0 por R$ 64.990. No começo desse ano, essa mesma configuração estava disponível por R$ 45.960, o que representa uma alta superior a 41,4%!

Nesse meio tempo, o longevo hatch não teve qualquer alteração significativa no visual ou motorização, pois ele segue com o propulsor 1.0 Fire de 75 cv e 9,9 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas.

A atual estratégia da Fiat é manter o Uno para suprir suas vendas diretas, pois ele continua sendo muito procurado por empresas. Ou seja, estamos falando de um “carro de firma”, aquele que você sempre vê com uma escada no teto.

Com isso, o preço informado em seu configurador acaba sendo muito diferente do que as empresas realmente pagam, pois esse tipo de venda costuma render generosos descontos.

2) Fiat Argo – 30,56%

Carros com maior alta de preços em 2021

O substituto do Uno no mercado brasileiro, quando falamos sobre o modelo mais procurado da marca, é o Argo. Em 2021, ele já acumulou 65.415 unidades vendidas, o que o coloca na 3ª posição entre todos os automóveis e comerciais leves.

Por outro lado, esse bom resultado veio acompanhado de diversas mudanças em sua tabela de preços. Levando em conta a versão de entrada (chamada apenas de Argo 1.0), o modelo subiu de R$ 51.540 para R$ 67.290, uma alta acima dos 30%.

Por esse valor você leva o modelo com motor 1.0 Firefly de três cilindros, com 77 cv, 10,9 kgfm e câmbio manual de cinco marchas. Ele vem com ar-condicionado, direção elétrica e outros itens básicos, mas sem sistema de som.

Sendo um modelo mais moderno, o Argo conta com uma linha bem mais completa que o Uno para brigar com Onix e HB20. Ele ainda tem as versões Drive 1.0 (R$ 72.890), Drive 1.3 S-Design (R$ 78.290), Trekking 1.3 (R$ 78.990), Trekking 1.8 AT (R$ 93.290) e HGT 1.8 AT (R$ 94.890).

3) Fiat Strada – 30,04%

Carros com maior alta de preços em 2021

Completando o pódio dos modelos que mais encareceram em 2021, a Fiat Strada aparece na terceira posição com uma alta acima dos 30% em sua versão mais barata Endurance Cabine Plus.

Lançada em junho de 2020, a nova Strada chegou custando R$ 63.590 nessa configuração, subindo para R$ 66.050 em janeiro e para incríveis R$ 85.890 até outubro. Ou seja, a alta nesse ano foi realmente muito acima do esperado.

Além dessa opção, a picape ainda tem a versão cabine dupla com o mesmo motor 1.4 Fire de 88 cv e 12,5 kgfm. Já as configurações Freedom (CP e CD) e Volcano (CD) vem com o 1.3 Firefly de 109 cv e 14,2 kgfm, sempre com câmbio manual de cinco marchas.

Mesmo com esse aumento, a Strada segue firme como o veículo mais vendido do Brasil em 2021, tendo acumulado 85.384 unidades até setembro. Sua principal rival, a VW Saveiro, conseguiu apenas 19.929 emplacamentos no mesmo período.

4) Hyundai HB20 – 29,22%

Carros com maior alta de preços em 2021

Se a Strada lidera as vendas no geral, o HB20é quem aparece na primeira posição quando falamos apenas dos automóveis vendidos por aqui. E esse sucesso talvez explique o gosto que a marca tomou em reajustar seus preços.

A versão mais barata Sense (se é que ainda podemos chamá-la assim) não sai por menos de R$ 65.890, mas no começo desse ano ela podia ser encontrada por R$ 50.990. Ou seja, o mesmo carro já ficou 29,22% mais caro.

Para não ser injusto, é verdade que o HB20 2022 trouxe airbags laterais, controle de tração e estabilidade e assistente de partida em rampas como itens de série. Isso ocorreu no final de março, quando a versão de entrada custava R$ 56.890. Ou seja, mesmo assim houve um aumento de 15,82%.

Ajudado pela paralisação na produção do antigo líder Onix, o HB20 já conseguiu vender 67.146 unidades nesse ano, protagonizando uma briga bem interessante com o Fiat Argo.

5) Toyota Hilux – 27,54%

Carros com maior alta de preços em 2021

A Hilux sempre foi cara, e isso não é novidade para ninguém. Em 2021, porém, a picape conseguiu impressionar ainda mais com os reajustes anunciados pela marca, elevando seu preço inicial em mais de 27,5%.

Esse aumento é referente à opção SRV 4×2 Flex AT, com motor 2.7 de 163 cv e 25 kgfm. Quem a levou para casa no começo de 2021 pagou cerca de R$ 156.880, mas hoje a mesma versão sai por R$ 200.090.

Além das opções flex, a Hilux conta com as mais procuradas configurações diesel, com motor 2.8 de 204 cv e 42,8 kgfm. Os preços, porém, são ainda mais salgados, variando entre R$ 221.490 e R$ 292.290.

Mas assim como acontece com diversos outros modelos citados nessa lista, a alta nos preços parece não afetar as vendas da picape da Toyota. Entre suas rivais de mesmo tamanho, ela lidera com uma certa folga, tendo acumulado 32.570 unidades em 2021.

6) Volkswagen Gol – 25,87%

Carros com maior alta de preços em 2021

Se você achava que o Gol deveria ser oferecido com algum desconto para compensar sua falta de atualizações, pense novamente, pois ele vai na direção contrária com seus diversos aumentos.

Depois da retirada de alguns modelos, a linha da VW tem o antigo carro mais vendido do país como sua opção mais em conta, saindo por R$ 65.590 na versão 1.0 com câmbio manual, 84 cv e 10,4 kgfm de torque.

Isso representa um aumento de quase 26% quando vemos que o mesmo carro era vendido por R$ 52.110 no começo do ano. Além dessa versão, o Gol ainda conta com a configuração 1.6 de 104 cv, que custa entre R$ 72.790 (câmbio manual) e R$ 80.690 (transmissão automática).

7) Renault Kwid – 25,46%

Carros com maior alta de preços em 2021

Com um reajuste bem próximo ao Gol, o Kwidtambém mudou diversas vezes sua tabela de preços em 2021. Levando em conta que ele se apoia no fato de ser um dos mais baratos do país, isso foi bastante notado pelo público.

Em janeiro, o subcompacto custava R$ 38.890 na versão Life, que é voltada para frotistas por não oferecer quase nenhum equipamento de conforto. Hoje, esse mesmo carro é tabelado em R$ 48.790, um aumento de 25,46%.

Com uma situação parecida ao que vemos no Uno, o Kwid Life acaba saindo por um valor bem menor na modalidade de venda direta. Para o público em geral, a Renault foca nas versões Zen, Intense e Outsider, todas com motor 1.0 de 70 cv e com preços entre R$ 57.190 e R$ 60.990.

Um detalhe curioso é a diferença em relação aos preços de lançamento (junho de 2017), quando o carrinho chegou por R$ 29.990 e realmente podia ser chamado de um veículo barato.

8) Fiat Mobi – 24,37%

Carros com maior alta de preços em 2021

Grandes concorrentes entre os modelos de entrada, Kwid e Mobi parecem andar juntos em tudo, até mesmo no aumento de preços em 2021. Um pouco abaixo do rival francês, o modelo da Fiat subiu 24,37% nesse período.

Isso significa que o Mobi elevou o valor de sua versão Easy de R$ 38.990 em janeiro para R$ 48.490 em outubro, se mantendo um pouco abaixo de seu rival. A receita também é a mesma, sendo um carro absolutamente pelado nessa configuração.

Um ponto negativo em relação ao modelo da Fiat é que todas as suas versões vem com o velho Fire 1.0 de 75 cv e 9,9 kgfm, sendo que antes ele tinha o propulsor 1.0 Firefly de três cilindros, que entregava 77 cv e 10,9 kgfm.

9) Chevrolet S10 – 23,50%

Carros com maior alta de preços em 2021

Assim como a Hilux, a S10 foi outra picape que aumentou os já absurdamente altos preços de sua tabela. Em relação à sua versão de entrada Advantage, o reajuste foi de 23,50%, pulando de R$ 141.210 para R$ 174.400.

O modelo da Chevrolet havia sido renovado em 2020, alterando o visual e ganhando mais equipamentos. Na parte mecânica, o motor 2.5 flex seguiu com 206 cv e 27,3 kgfm, nesse caso com câmbio manual de seis marchas.

Por outro lado, as versões com o propulsor 2.8 diesel receberam um novo turbo, contando com 200 cv e 51 kgfm. Os preços aqui também são mais altos, variando entre R$ 215.090 (versão LS) e R$ 272.290 (High Country).

10) Renault Duster – 22,40%

Carros com maior alta de preços em 2021

Fechando nossa lista com os 10 modelos que mais subiram de preço em 2021, a Renault aparece novamente, dessa vez com o Duster. Seu preço inicial, que era de R$ 77.360, passou para R$ 94.690.

Esse é o valor da versão de entrada Zen com câmbio manual de cinco marchas, lembrando que todas as configurações do modelo usam o motor 1.6 de 120 cv e 16,2 kgfm. As opções mais caras vem com o câmbio CVT.

Se para alguns dos carros citados aqui o preço não atrapalha as vendas, o mesmo não pode ser dito em relação ao Duster. Ele amarga a discreta 10ª posição entre os SUVs, com 17.482 unidades vendidas nesse ano (o líder Renegade tem quase 59 mil).

[Fonte: NA]