O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira que ajuda o empreendedor a ter mais controle das entradas e saídas de dinheiro da empresa. Isso engloba as despesas do negócio, como salários, aluguel do espaço, energia e internet e também as receitas de vendas a prazo, com parcelamento no cartão, por exemplo.

Por meio dele, é possível acompanhar as movimentações, assim como garantir equilíbrio financeiro e se certificar das oportunidades de negociação de prazos com clientes e fornecedores. É bastante comum muitos empreendedores fazerem seu fluxo de caixa em papel, mas hoje em dia existem tecnologias que otimizam esse processo, principalmente um sistema de gestão integrada.

Para que serve o fluxo de caixa?

O fluxo de caixa proporciona o acompanhamento das movimentações financeiras da empresa ao longo do tempo. Sendo assim, facilita as tomadas de decisão em relação ao capital do negócio.

Com essa ferramenta de gestão financeira o lojista pode saber se vai sobrar ou faltar capital futuramente e compreender prazos de negociação. Além disso, é possível flexibilizar prazos de pagamento aos consumidores, sem comprometer processos internos, e também analisar as subsidiações das atividades por meio de empréstimos e financiamentos.

Por que fazer fluxo de caixa?

Fluxo de caixa é uma ferramenta que está totalmente ligada ao controle financeiro da empresa e, sem ela, torna-se inviável calcular as entradas e saídas de dinheiro do caixa.

Sendo assim, realizar um fluxo de caixa eficiente é fundamental para qualquer negócio, independentemente do seu tamanho, além de ser uma importante garantia de lucro e manutenção do crescimento da empresa.

Como analisar o fluxo de caixa?

Antes de entrar nos detalhes de como fazer uma análise de fluxo de caixa, vamos nos aprofundar brevemente em uma importante parte dessa atividade.

Capital de giro

O capital de giro diz respeito ao que a empresa possui, seja no caixa, nas contas a receber, na conta corrente bancária ou no estoque. Calculá-lo é essencial para diagnosticar a saúde financeira da empresa e para ter mais segurança na rotina ou em novos investimentos.

Para saber qual é o capital de giro do negócio, basta fazer o seguinte cálculo:

Contas a receber Valor em estoque – Contas a pagar Obrigações financeiras e tributárias Capital de giro
Exemplo: 18.000 (saldo caixa/bancário e contas a receber dentro do mês) + 850.000 (estoque de veículos calculado pelo valor investido) – 150.000 (à pagar dentro do mês) + 8.000 (Desp. Financeiras e impostos) =
868.000 – 158.000 = 710.000 (Seu Capital de Giro)

Análise do fluxo de caixa

Para analisar o fluxo de caixa, é preciso levar em consideração diversos componentes que oferecem uma visão mais detalhada da gestão financeira: atividades operacionais, atividades de investimento e atividades de financiamento.

Após registrar as transações necessárias nesse demonstrativo de fluxo de caixa, cabe agora a análise. Para ter um fluxo de caixa positivo, é preciso que o saldo final seja maior que o saldo inicial. Caso o saldo inicial seja maior que o saldo final, você tem um fluxo de caixa negativo.

Qual é a diferença entre lucro e fluxo de caixa?

A diferença entre lucro e fluxo de caixa é que o primeiro se refere a todo dinheiro que sobra depois de descontados receita, custos e despesas para a manutenção do negócio. Já o segundo é quando a empresa recebe o dinheiro e efetua os pagamentos.

Qual a diferença entre DRE e fluxo de caixa?

O DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) é um relatório de contabilidade que verifica os lucros e os prejuízos da empresa em determinado período. O fluxo de caixa é a ferramenta usada para analisar as entradas e saídas de dinheiro do caixa. A principal diferença entre os dois é que o DRE exige um acompanhamento mais longo a fim de se obter dados mais confiáveis