A venda de veículos seminovos e usados, em Minas Gerais, vai encerrar 2021 em alta. De janeiro a novembro, a comercialização dos veículos cresceu 16% sobre o mesmo período de 2020. Em novembro, frente a outubro, as vendas ficaram estáveis, com pequena retração de 0,2%. Já na comparação com o 11º mês de 2020, foi verificada queda de 19,8%, período em que as vendas estavam bastante aquecidas em função dos juros mais baixos e da maior necessidade da população em adquirir um veículo próprio e evitar o transporte público.

Com a oferta de veículos novos em baixa, já que a falta de componentes tem impactado a produção, a tendência é de que o mercado de usados siga aquecido.

De acordo com o diretor de Planejamento e Marketing da Associação dos Revendedores de Veículos no Estado de Minas Gerais (Assovemg) e diretor comercial da AutoMaia Veículos, Flávio Maia, a demanda pelos veículos usados vem sendo impulsionada pelo avanço do processo de vacinação contra a Covid-19 e a maior confiança das famílias em voltarem à rotina de antes da pandemia.

Além disso, outro fator que tem impulsionado a demanda é a falta de oferta de veículos novos no mercado. O desabastecimento de componentes e peças vivido pelas montadoras tem limitado a produção e alavancado a procura pelos seminovos e usados.

Maia explica que veículos seminovos estão ocupando o lugar dos modelos zero, que estão com baixa oferta. Com procura em alta, na contramão do mercado tradicional, em que o automóvel perde entre 15% a 20% do valor após um ano de uso, há modelos com valorização de mais de 20%.

O momento também é considerado excepcional para quem pensa em vender, já que os estoques nas lojas estão 50% menores.

“Muitos clientes nos procuram para fazer um downgrade, ou seja, pegar um carro mais novo, mais econômico por causa dos aumentos da gasolina, com preço excepcional e em excelentes condições. É aproveitar a oportunidade, porque o problema dos fabricantes com a falta de semicondutores deve continuar em 2022”, disse Maia.

Conforme os dados da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), nos primeiros 11 meses de 2021, a venda de veículos usados e seminovos em Minas Gerais totalizou 1.710.580 unidades, superando em 16% o volume comercializado em igual intervalo de 2020, que era de 1.474.759 unidades.

Somente em novembro, foram comercializadas 136.819 unidades, volume apenas 0,2% inferior a outubro, quando as vendas somaram 137.151 veículos. Em relação ao 11º mês de 2020, quando somaram 170.519 unidades vendidas, a queda ficou em 19,8%.

No Brasil, foi registrada variação negativa de 0,3% em relação a outubro, com um total de 1.165.436 veículos comercializados, contra 1.168.479 no mês anterior. O acumulado comercializado até o final de novembro ficou 23,9% superior ao mesmo período de 2020, chegando a 13.905.124 de veículos contra 11.224.856 no ano passado. A previsão da entidade é de que o ano feche próximo a 15 milhões de veículos seminovos e usados comercializados. Contudo, o estado de São Paulo registrou queda de quase 3% na participação das transações de usados, na comparação com os dados nacionais. O motivo desse declínio, segundo entidades, foi o aumento de 207% na alíquota do ICMS sobre automóveis usados.

[Fonte: Diário do Comércio]