Os primeiros dias de janeiro estão longe de indicar um ano promissor para as vendas de veículos novos. Na primeira quinzena, o mercado caiu ao menor patamar de emplacamentos desde o começo da pandemia. Em 10 dias úteis de vendas, foram negociados apenas 58,8 mil automóveis e comerciais leves, uma média diária de 5,8 mil emplacamentos/dia.

Os dados foram obtidos pela Agência Autoinforme. Segundo a empresa, o volume é mais baixo do que o registrado nos meses de abril, maio e junho de 2020, quando houve fechamento massivo de concessionárias e fábricas de veículos por causa da restrição à circulação de pessoas causada pela covid-19.

O volume dos primeiros 10 dias úteis do ano indica retração de 23,8% no mercado na comparação com período equivalente de 2021. A agência aponta que, se o período mais agudo da pandemia for desconsiderado, a média diária de vendas do começo do mês é a pior em 15 anos.

Fiat lidera e Jeep chega a 10% do mercado

Enquanto a Fiat sustentou a liderança no mercado conquistada em 2021, com 11,7 mil emplacamentos, a General Motors apareceu com distância no segundo lugar, com 6,7% mil veículos vendidos. Logo atrás estão Volkswagen e Jeep que, pela primeira vez, conquistou fatia de 10% do mercado e garantiu a quarta colocação no ranking. O quinto lugar foi conquistado pela Toyota.

Veja o ranking de vendas:

Janeiro de 2022
1ª quinzena
1º | Fiat: 11,7 mil veículos (19,9% de participação no mercado)
2º | GM: 6,7 mil (11,5%)
3º | VW: 6,7 mil (11,4%)
4º | Jeep: 6 mil (10,3%)
5º | Toyota: 5,7 mil (9,7)
6º | Hyundai: 4,5 mil (7,7%)
7º | Renault: 3,8 mil (6,5%)
8º | Honda: 2,2 mil (3,8%)
9º | Nissan: 1,4 mil (2,4%)
10º | Caoa Chery: 1,3 mil (2,2%)

[Fonte: AB]