O governo anunciou a criação de um serviço, no celular, para acabar com a burocracia na compra e venda de veículos usadosentre pessoas físicas.

É mais uma opção dentro do aplicativo Carteira Digital de Trânsito. Vai funcionar assim: o vendedor do veículo acessa o aplicativo, informa o CPF do comprador e faz a assinatura digital. O comprador recebe a notificação e repete o processo. Essa opção digital deverá estar disponível a partir de 24 março. É preciso ter um cadastro no portal gov.br.

A autorização cai direto no sistema do governo federal. Daí, basta levar o veículo para vistoria no Detran local, que continua sendo obrigatória, e concluir a transferência. Claro que o interessado deverá estar em dia com as taxas e multas.

Isso vai facilitar a vida do proprietário de veículo que já tenha documentação digital, os carros que saíram de fábrica ou que foram transferidos a partir do dia 4 de janeiro de 2021. Não tem a ver com o ano de fabricação, e sim com a última transferência. Se, por exemplo, no dia 5 de janeiro do ano passado você comprou um carro ano 2016, ele já tem documentação digital. Se foi carro zero, a digitalização já foi automática.

Giulia Barbosa acaba de comprar um carro usado e está empolgada com a possibilidade de ter logo a documentação no nome dela. O Detran-DF se adiantou e já tem um sistema digital próprio.

 

“Já tive a experiência de comprar um veículo, passei pelo processo todo burocrático, demorou por volta de uma semana para ter o veículo em meu nome. Agora, com a transferência eletrônica, eu tenho uma expectativa muito boa de que vai ser um processo ágil”, diz a dentista Giulia Barbosa.

 

Assim como o PIX revolucionou as transferências bancárias, a transferência eletrônica de veículos vai permitir a transação de compra e venda, entre pessoas físicas, com menos burocracia. Não haverá mais necessidade de reconhecer firma em cartório, assinar contrato em papel e esperar dias.

A primeira fase do modelo digital começou em agosto do ano passado e permite até agora que a pessoa física transfira digitalmente a documentação de um veículo que está vendendo para uma loja de carros, mas a loja tem que estar integrada no Registro Nacional de Veículos em Estoque, o Renave.

[Fonte: uol]